Dissertação

Optimização de sistemas de demolição - demolição selectiva EVALUATED

A demolição selectiva (DS) aparece num contexto de diminuição da produção de resíduos e do consumo de recursos naturais. No entanto, Portugal ainda goza de abundância de matéria-prima para o fabrico de materiais de construção. Por outro lado, a actividade de demolição está em fase de crescimento franco, implicando o aumento da produção de resíduos de demolição (RD). Contudo, o sistema de demolição corrente continua a ser a demolição sem separação de materiais chamada demolição tradicional (DT). Este cenário deve-se essencialmente a vazios legais e constrangimentos económicos. Em termos legais, foi recentemente aprovada legislação relativa à gestão de resíduos, mas a produção e gestão de resíduos de construção e demolição (RCD) não é, actualmente, regulada por legislação específica, pelo que subsiste a carência de meios para controlar essa produção e a sua gestão. Em termos económicos, apesar de os trabalhos de DS serem mais dispendiosos do que os de DT, a DS oferece a possibilidade de retirar vantagens económicas da gestão dos RD. Assim sendo, globalmente, a viabilidade económica da DS face à DT depende não só do custo de demolição mas também do custo de gestão dos resíduos. No entanto, existe ainda actualmente em Portugal a possibilidade de depositar RCD não separados a taxas muito baixas. Logo, a DS continua a não ser mais atractiva do que a DT, numa perspectiva económica.
demolição selectiva, estado-de-arte, gestão de RCD, viabilidade económica

Outubro 12, 2007, 9:0

Publicação

Obra sujeita a Direitos de Autor

Orientação

ORIENTADOR

Jorge Manuel Caliço Lopes de Brito

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura (DECivil)

Professor Associado