Dissertação

Metodologias para a avaliação do risco de incêndio: Aplicação ao caso de estudo de Mação Aplicação ao caso de estudo de Mação EVALUATED

Os fogos florestais são uma realidade com consequências nefastas em termos económicos e sociais. A ocorrência de eventos de grande dimensão tem-se revelado mais frequente nas últimas décadas, em parte devido às alterações climáticas. O concelho de Mação corresponde a uma das regiões de Portugal em que este fenómeno tem sido recorrente. Só em 2003, cerca de metade do seu território foi afectado. Perante esta situação, a elaboração de cartografia de risco de incêndio a nível local revela-se um instrumento vital com vista ao ordenamento e conservação da floresta. Neste trabalho, são analisadas diferentes metodologias de cartografia de risco de incêndio, procedendo-se depois à elaboração de cartas de perigosidade para o concelho de Mação, por intermédio de Sistemas de Informação Geográfica (SIG). São seguidas diferentes metodologias: a metodologia I consiste na multiplicação das variáveis índice meteorológico de incêndio, declive e ocupação do solo pela probabilidade de incêndio; as outras duas recorrem a métodos aditivos ponderados de variáveis (declive, ocupação do solo, exposição, distância a vias de comunicação e distância a aglomerados populacionais), multiplicadas pelo risco meteorológico de incêndio e pela probabilidade de incêndio. Os mapas são criados para dois tipos de probabilidades: probabilidade com base no histórico de incêndios e probabilidade condicionada. Os resultados obtidos para a metodologia I foram validados com recurso às áreas ardidas no período de estudo (1990-2006), tendo-se verificado uma compatibilidade aceitável. A utilização da probabilidade condicionada revelou resultados globalmente menos satisfatórios, embora possa ser utilizada num contexto de complementaridade com a probabilidade baseada no histórico.
incêndios florestais; SIG; Mação; risco

Novembro 20, 2007, 14:30

Documentos da dissertação ainda não disponíveis publicamente

Orientação

ORIENTADOR

Amílcar de Oliveira Soares

Departamento de Engenharia de Minas e Georrecursos (DEMG)

Professor Associado